sexta-feira, 3 de abril de 2009

♥ Criação...


Homenagem: Rafael Goulart ツ



CRIAÇÃO

“No princípio (mas não realmente o princípio – somente em determinado momento de minha existência, que é eterna), aprendi a respeito de um plano do Pai Celestial para mim e meus irmãos espirituais. Sendo ele um ser exaltado, perfeito e santo, desejava que tivéssemos a oportunidade de seguir o Seu caminho. Seu primogênito, nosso irmão mais velho, Jesus [Cristo] organizaria um mundo onde poderíamos viver, crescer e aprender a amar e a realmente nos importarmos. Seria uma experiência difícil, em um mundo de homens imperfeitos e leis irrevogáveis, onde teríamos que decidir se seguiríamos a [Ele]. E assim,... eu disse ‘Sim’. E aguardei minha vez. (Jesus Cristo) começou a organizar um mundo para nós, os filhos do Pai Celestial. E então, certo dia, deixei um lugar do qual agora não consigo lembrar-me, para vir para cá, e iniciar a união de minha vida com a terra. No esplendor enevoado que é a infância, aprendi a reconhecer as primeiras formas de beleza – o aroma dos eucaliptos, os primeiros encontros com o mar, o sol, a areia e a neblina – gotas d’água em meu rosto, uma abelha, flores, e ciprestes balançando estranhamente ao vento. E enquanto crescia, o mundo tornou-se ainda mais maravilhoso; e lá no meu íntimo, começou a aparecer uma dorzinha quente e doce, que é o amor à terra. (Jesus Cristo) Criou a luz que se derrama suavemente como um manto de prata durante a noite e forma vultos movidos pela brisa-luz, azul-dourada e suave nos dias de sol primaveril – luz que espalha suas cores, primeiramente um vermelho esmaecido, depois laranja, e depois outro, para dissipar o azul-escuro que é noite – alvorada. E eu tenho olhos para ver. E criou o vento que murmura suavemente no arvoredo, a cintilante corrente de água límpida que passa cantando e tropeçando a caminho do mar e os pássaros que enchem o ar matinal com seus trinados melodiosos. E eu tenho ouvidos para ouvir. Ele fez mãos que se tocam no calor de um ‘Como vais?’ ou ‘Eu te ajudo’, ou ‘Estou começando a te amar’; e olhos para falar, para enxergar além das palavras, para compreender e descobrir. E deu-me um coração que vê e ouve, que sente a terra que ele fez; e, lá no íntimo de meu ser, o amor à terra cresce e transborda. Ele me deu lágrimas de alegria para verter. Vocês também possuem essas coisas. Elas são dons – bênçãos que ultrapassam nossa capacidade de receber. E um dia, quando encontrar novamente Jesus [Cristo] e meu Pai acolher-me de volta, espero, ao lado de meu companheiro [eterno], poder começar a construir um mundo como este. E nossos filhos contemplarão, na doçura fria da luz da manhã, o céu de sua terra, com olhos brilhantes de lágrimas brotadas do amor à terra e dirão: ‘Obrigado, Pai’.”
(Ann Busath, “Creation”, Improvement Era, setembro de 1967, p.56.)

2 comentários:

Antonio disse...

É muito bom ver esta postagem "Criação" no seu Blog...Ela contém uma frase que nunca vou me esquecer:

"Ele me deu lágrimas de alegria para verter."

Hellen ツ disse...

A Importância de sermos gratos por todas as coisas que temos e, de saber reconhecer as mais diversas formas de 'beleza' em nossas vidas.