segunda-feira, 3 de agosto de 2009

♥ Tudo a Seu Alcance...


•TUDO A SEU ALCANCE...

"Certo dia (...), minha filha Sarah, que tinha sete anos de idade na época, procurou-me e disse: 'Pai, posso ganhar uma bicicleta? Sou a única menina do quarteirão que não tem uma bicicleta'. Bem, eu não tinha dinheiro suficiente para comprar-lhe uma bicicleta, por isso disfarcei e disse para ela: 'Claro que pode, Sarah'. (...)Eu disse: 'Economize todas as suas moedinhas e, logo terá o suficiente para comprar uma bicicleta'. E com isso ela se foi. Algumas semanas depois, eu estava sentado na mesma poltrona, quando percebi que Sarah estava fazendo algo para sua mãe e recebendo pagamento por isso. Ela foi até a outra sala e ouvi: "Clink, clink'. Perguntei: 'Sarah, o que está fazendo? 'Ela voltou e (...) disse: 'Você prometeu que se eu economizasse todas as minhas moedinhas, logo teria o suficiente para comprar uma bicicleta. Pai, eu economizei todas as que ganhei'. Ela é minha filha, e eu a amo. Meu coração se derreteu. Ela estava fazendo tudo a seu alcance para seguir minhas instruções. Eu não tinha mentido para ela. Se ela guardasse todas as suas moedinhas, chegaria um dia em que teria o suficiente para comprar uma bicicleta, mas então ela estaria interessada em um carro. Por causa do amor que tenho por ela, eu disse: 'Vamos até à cidade procurar uma bicicleta'. Fomos a todas as lojas de Williamsport, Pensilvânia. Por fim, encontramos. (...) Ela montou a bicicleta e ficou muito entusiasmada. Então viu a etiqueta de preço, pegou-a e virou-a. Quando viu quanto custava, seu semblante caiu e ela começou a chorar, Ela disse: 'Oh, pai, eu nunca vou juntar o suficiente para comprar uma bicicleta'. Por isso eu disse: 'Sarah, quanto você tem?' Ela respondeu: "Sessenta e um centavos". 'Vou-lhe dizer o que farei. Você me dá tudo que tem mais um abraço e um beijo, e a bicicleta é sua.' (...) Ela deu-me um abraço e um beijo e entregou-me os sessenta e um centavos. Tive então que dirigir muito vagarosamente para casa, porque ela não quis descer da bicicleta. Ela pedalou pela calçada até chegarmos em casa, e enquanto dirigia lentamente ao lado dela pelas ruas, dei-me conta de que essa era uma parábola da Expiação de Cristo". ("Believing Christ: A Practical Approach to the Atonement", Brigham Young University 1989-1990 Devotional and Fireside Speeches, 1990, pp. 122-123.)

- Stephen E. Robinson -


"Cremos que, por meio da Expiação de Cristo, toda a humanidade pode ser salva por obediência às leis e ordenanças do Evangelho."¹
-
"E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seus suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão."²
-

"Pois eis que eu, Deus, sofri essas coisas por todos, para que não precisem sofrer caso se arrependam; Mas se não se arrependerem, terão que sofrer assim como eu sofri; Sofrimento que fez com que eu, Deus, o mais grandioso de todos, tremesse de dor e sangrasse por todos os poros; e sofresse, tanto no corpo como no espírito - e desejasse não ter de beber a amarga taça e recuar - Todavia, glória seja para o Pai; eu bebi e terminei meus preparativos para os filhos dos homens." ³


¹. Terceira Regra de Fé;
². Lucas 22:39-44;
³. Doutrina & Convênios 19:16-19.

Nenhum comentário: